“As quatro baianinhas que o Rio pescou”

Texto de Regina Werneck Monteiro. Publicado na Revista Aconteceu, em 1965.

 

“Foi numa tarde quente de verão, linda, como sabem ser as tardes do Rio, que os cariocas jogaram sua rede. Mas contrariando o ditado, nem tudo o que cai na rede é peixe. E não foi peixe o que a rede trouxe, mas quatro lindas baianinhas. Não sereias, o que seria muito prosaico, mas quatro cantoras, mais precisamente, um conjunto vocal, mais precisamente ainda, o Quarteto em Cy, um dos mais perfeitos conjuntos vocais femininos já surgidos na música brasileira.

             E, perguntareis, por que ‘em Cy’, e não ‘em si’, a nota musical, já que se trata de um conjunto vocal? Responder-vos-ei o porquê: é que chamam-se as moças, respectivamente: CYVA, CYLENE, CYBELE e CYNARA.

CYVA, formada em Português, resolveu, um dia, tentar a sorte no Rio. Há três anos, deixou saudosas as três irmãs e partiu. Enquanto lecionava, para manter-se, freqüentava reuniões, festinhas, onde sempre encantava a todos com seu jeito suave de ser e de cantar. Carlos Coqueijo, seu amigo da Bahia, levou-a à casa de Vinícius de Moraes que também não resistiu ao talento da baianinha.

Um ano se passou e eis que uma grata surpresa encheu a moça de alegria: suas três queridas irmãs vinham para ficar. Passaram, então, a cantar sempre juntas, em casa de amigos, até que um dia, Vinícius convidou-as para gravar uma canção para a trilha sonora do filme “Sol sobre a lama”, sua e de Pixinguinha, juntamente com Catulo de Paula.

Lyra escreveu para elas alguns vocais, tiveram um período intensivo de aulas com Moacyr, até que surgiu um violonista e arranjador, dos melhores, Carlos Castilho, que impressionado com a qualidade artística e com as possibilidades das moças, a elas se dedicou inteiramente, esquecendo seus próprios interesses, durante cinco meses, burilando e aperfeiçoando seu imenso talento.

Quando Carlinhos achou-as ‘no ponto’, organizou um show na boite ‘Bottles’, com a participação dos melhores músicos. O público vibrou com os belos arranjos que Carlinhos preparou para o quarteto, que em tudo valorizavam o timbre harmonioso das moças. Depois do êxito dessa primeira experiência profissional, foi um nunca acabar de convites para apresentações em emissoras de rádio, TV, ‘shows’ no Rio, em São Paulo, Santos, Campinas e em muitas outras cidades.

Enquanto tudo isso sucedia, Vinícius foi para a Europa, permaneceu longo tempo lá e voltou. Informado, na sua volta, do sucesso das ‘suas baianinhas’, convidou-as para participarem com ele, Caymmi e o conjunto de Oscar Castro Neves de um ótimo show na boite ‘Zum Zum’, que tem tido casas lotadas todas as noites.

As moças adoram o Rio, não pretendendo nunca mais deixá-lo. De vez em quando, a saudade da Bahia aperta, mas foi aqui que conheceram o sucesso e uma gratidão muito grande as prende a nossa cidade.

Assim é o Quarteto em Cy, quatro jovens cheias de bossa, encantadoras, responsáveis, excelentes profissionais, a quem desejamos uma carreira sempre pontilhada de alegrias e triunfos.”

 

 

Fotos: Revista Aconteceu, 1965.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s