“Música & Espiritismo” e o Quarteto em Cy

“Música & Espiritismo”, título do livro do musicoterapeuta Luiz Antonio Millecco, lançado pela editora carioca Lachâtre, conta com o prefácio escrito por Cyva, em nome do Quarteto em Cy. O livro aborda questões acerca de como o Espiritismo pode auxiliar os indivíduos a compreender a importância e a influência das artes, especialmente da música, sobre a natureza humana. Neste post, reproduzimos o prefácio escrito por Cyva e o proêmio do livro escrito po Millecco que conta como conheceu o trabalho musical do Quarteto em Cy e de que forma ele marcou a sua vida. Mais uma leitura indispensável!

 

 

Prefácio do livro Música & Espiritismo

 

Minhas irmãs, companheiras do Quarteto em Cy e eu ficamos muito lisonjeadas com o convite para prefaciar o livro Música & Espiritismo, do professor Luiz Antonio Millecco.

Tendo sido escolhida para interpretas o pensamentos do grupo, espero faze-lo guiada pelo meu interesse nos dois assuntos, pois tanto a música quanto o espiritismo tem sido a minha bússola nesta encarnação. Encontrei na doutrina de Kardec o instrumento que me ajudou a transformar as notas desafinadas da minha alma, como o medo, a ansiedade, a angústia, a incerteza, buscando, pelo auto-conhecimento, evoluir como ser humano e vivenciar, a cada dia, a doutrina espírita nos moldes do nosso Mestre Jesus.

Nos anos 70, conhecemos a Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas, de Curitiba, dirigida pelo prof. Maury Rodrigues da Cruz, que nos apresentou o irmão Leocádio José Corrêa, o irmão Antônio Grimm e toda uma equipe de espíritos de luz. Desde então, através da orientação e ensinamentos desses espíritos, temos conseguido continuar harmonizando as nossas vidas e, através da linguagem universal que é a música, procuramos levar um pouco dessa harmonia a cada pessoa que nos escuta.

Lendo os originais de Música & Espiritismo, do prof. Luiz Antonio Millecco, entendi o porquê da preferência de nós quatro do Quarteto em Cy por um tipo de música que, cada vez mais, tem sido banida das rádios e televisões brasileiras. É que, como os pássaros de que ele fala em sua “Introdução”, procuramos dizer, nestas quase quatro décadas de carreira, a que espécie de espíritos pertencemos. Não disputamos posição ou poder junto à mídia, porque procuramos seguir nosso coração e, dentro do “Princípio do Iso”, levando em conta nossa “tempo mental”, visamos harmonizar os espíritos numa mesma direção, sempre com esperança ou “um pressentimento de dias melhores”.

Louvo o trabalho do prof. Millecco, um exemplo para todos os espíritas, e tenho certeza de que Música & Espiritismo será um livro de consulta obrigatória para os pesquisadores do assunto e também um ponto de partida para obras futuras.

A musicoterapia, hoje, felizmente, é considerada de grande ajuda na preservação da saúde do ser humano. Tenho observado, de perto, os efeitos disso na vida de diversas pessoas que participam de corais amadores e que confessam como a música mudou suas vidas, tirando-as da depressão e ajudando-as, cada vez mais, na busca da alegria de viver, levando seus corações a freqüências e liberdade cada vez mais satisfatórios aos seus espíritos na presente encarnação.

Por tudo isso, obras como a do prof. Millecco são sempre bem-vindas, não somente para nós, espíritas, mas também para qualquer pessoa que busque orientação segura e verdadeira na sua caminhada.

Rio de Janeiro, agosto de 2001.

Cyva de Sá Leite (pelo Quarteto em Cy)

 

 

Proêmio do livro Música & Espiritismo

 

Ao conversar com Alexandre Rocha, editor da Lachâtre, sobre este livro, surgiu a inevitável interrogação: a quem confiar o prefácio?

– Ao Quarteto em Cy – respondeu ele.

A sugestão do companheiro fez com que o autor experimentasse três sensações diferentes: surpresa, alegria e emoção.

Surpresa, porque não tínhamos conhecimento de prefácios redigidos por um conjunto musical. Sabemos, hoje, que outra obra já foi prefaciada pelo Quarteto em Cy.

Alegria e emoção pelo que passamos a expor: 1) o autor e sua esposa têm, como quase todos os casais, a ‘sua música’. Trata-se de Apelo, de Vinícius de Morais. Ocorre a circunstância curiosa de que, sempre que o casal vivia momentos difíceis em seu relacionamento, sempre que o perigo de ruptura era mais iminente, um dos dois (se não ambos) ouvia coincidentemente a referida música. Ela era tocada em algum rádio da vizinhança, algum violão à distância ou até assobio descontraído de quem passasse.

Ora, a primeira gravação que conhecemos de Apelo é a do Quarteto em Cy, em antigo LP que tem o título: “Som Definitivo”.

2) Por ocasião de seu noivado, o autor foi presenteado pela noiva (hoje esposa) com o LP “De marré de Cy”. Através desse disco, o Quarteto em Cy conviveu com o casal. As músicas eram ouvidas com freqüência, principalmente, durante os aniversários do noivado. A certa altura, Cynara e Cybele, provisoriamente separadas do grupo, gravaram o seu próprio LP. Aqui há outro fato que merece nossa atenção. O referido Lp foi ouvido pelo casal na véspera do nascimento de seu filho. Sentimos com clareza que o enlevo experimentado pela audição daquelas vozes e daquelas melodias era o recurso pelo qual, através de Cynara e Cybele, a espiritualidade nos preparava para o acontecimento do dia seguinte, predispondo nosso coração a receber a criança com a alegria e o carinho que lhe eram devidos.

Diante de tudo isso, perguntamos:

– Quem são, para nós, essas moças?

Elas serviram de veículo para a manutenção da harmonia entre nós, nos períodos difíceis, de todo o namoro e noivado, sem esquecermos, é claro, o doce Vinícius de Moraes, aquém devemos o Apelo. Duas delas preparam-nos para receber nosso filho.

Acrescentem duas circunstâncias que não devemos ignorar: ao sugerir para o prefácio o Quarteto em Cy, Alexandre Rocha não tinha qualquer conhecimento de toda essa história. É também excusado dizer que, até o momento em que redigi estas linhas, o autor não tem a alegria de conhecer, pessoalmente, as componentes do Quarteto em Cy. Conhece-as sim, pelo disco, desde Pedro Pedreiro, desse extraordinário Chico Buarque de Holanda, primeira gravação do quarteto.

Fica, pois, em nossas mentes a interrogação acima: – Quem serão para nós essas moças? – Só Deus o sabe!…

Em todo caso, a elas, a Vinícius de Moraes, a Billi Blanco, ao saudoso Sidnei Miller, a nossa eterna gratidão.

Luiz Antonio Millecco

Anúncios

2 comentários sobre ““Música & Espiritismo” e o Quarteto em Cy

  1. Que emocionante, estou eu aqui, o filho que estavam esperando, lendo esse texto com alguns anos de atraso! Queria dizer que o De Marré de Cy” e o que cantam Chico também faz parte da minha vida, e também da minha profissão já que sou músico muito por causa de alguns discos específicos, e com certeza esses são uns deles!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s