Anos de chumbo – parte 2

Agora é a vez de Cyva contar as suas impressões sobre o tão difícil período dos anos de chumbo. E não faltam histórias para contar e cantar.

 

Falando em “anos de chumbo”, não podemos esquecer aquele ano de 74, quando uma censura pseudo-moralista resolveu proibir o Vinicius de se apresentar ao vivo.

Estreamos o show no Teatro Tuca, em S.Paulo, Vinicius, Toquinho e nós, do Quarteto em Cy, e fizemos todo o chamado Circuito Universitário passando por cidades como Sorocaba, Itu, Bauru, Araraquara, Botucatu, entre outras. Cantávamos músicas do Poeta e Toquinho, Chico e Atahualpa Yupanki: “mi pecho se alla de luto por la muerte del amor”, e o Vinicius dizia versos de Neruda e o poema Três Pablos, que havia escrito sobre Neruda, Casals e Picasso.

O sucesso era absoluto.

Depois do Circuito Universitário, íamos continuar com o show por todo o Brasil, de Manaus ao Rio Grande do Sul, começando por Brasília. Fizemos Manaus e Belém e aí tivemos a notícia de que o show havia sido suspenso por causa de um palavrão que Vinicius dizia no final do poema: “Ô ano triste e sem sorte, vá pra puta que o pariu”, lamentando o ano de 73 que “levou para o cemitério três Pablos de uma só vez”…isto aconteceu em Brasília, claro. Estávamos em plena ditadura e até mesmo o Poeta não conseguiu passar pelo crivo da censura da época.

E, assim, nós continuamos o show com Toquinho, pelo Nordeste até Salvador, quando tivemos de encerrá-lo, não sem antes termos cantado em todos os lugares já sem o Vinicius, porém com a presença dele nas coxias dos Teatros, dando força para continuarmos. O público notava a presença dele nas coxias e o aplaudia como se ele estivesse no palco conosco. Era emocionante, mas muito cruel.

Mais tarde fizemos ainda o Teatro Paiol, em Curitiba, mas, já, definitivamente, sem o Poeta.

Com certeza isto deixou Vinicius bastante triste, fazendo com que sua saúde ficasse um pouco debilitada.

Enfim, são passagens que não gostamos de lembrar, mas que todos devem saber para que jamais volte a acontecer coisa parecida, no nosso País.

Por: Cyva Leite

Citado por Cyva, vamos relembrar o poema “Três Pablos”, de Vinícius de Moraes. Esse poema retrata muito bem a atmosfera de 1973, momento em que foi escrito o poema.

“Três Pablos”

Que ano mais sem critério

esse de 73
Levou para o cemitério
três Pablos de uma só vez

 

Três Pablões, não três pablinhos
No tempo como no espaço
Pablos de muitos caminhos:
Neruda, Casals, Picasso.

 

Três Pablos que se empenharam
contra o fascismo espanhol
Três Pablos que muito amaram
Três Pablos cheios de Sol.

 

Um trio de imensos Pablos
em gênio e demonstração
Feita de engenho, trabalho
Pincel, arco e escrita à mão.

 

Três publicíssimos Pablos: Picasso, Casals, Neruda
Três Pablos de muita agenda
Três Pablos de muita ajuda.
Três líderes cuja morte
o mundo inteiro sentiu

 

Oh, ano triste e sem sorte
Vá pra puta que o pariu!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s