“Os vitoriosos nacionais”

Esta é a primeira de uma série de três postagens que faremos sobre o Festival Internacional da Canção, que teve “Sabiá”, de Tom Jobim e Chico Buarque como  a grande vencedora na interpretação de Cynara e Cybele. Mas não foi uma vitória pacífica. Foi nesse festival que aconteceu a grande vaia à canção de Tom e Chico que ficou marcada na história da Música Popular Brasileira. A matéria “Os vitoriosos nacionais”, publicada na Revista “Garôtas” (que se grafava com o circunflexo ainda), em 19/10/ 1968, conta sobre as músicas brasileiras classificadas na parte nacional do FIC. As classificadas nessa parte do festival passaram para a parte internacional, fase em que houve a grande vaia e que veremos nos próximos posts.

 

 

“Os vitoriosos nacionais”

Cynara e Cybele e o "Sabiá", de Tom Jobim e Chico Buarque de Holanda, representante do Brasil na parte interncional.

Cynara e Cybele e o “Sabiá”, de Tom Jobim e Chico Buarque de Holanda, representante do Brasil na parte interncional.

Jamais a platéia carioca participou tão vivamente de um espetáculo público quanto as 30 mil pessoas, ou mais, que se concentravam no Maracanãzinho à noite da finalíssima da Parte Nacional do III Festival Internacional da Canção Popular, para a escolha da música que iria representar o Brasil na segunda etapa do certame.

Houve sempre, para todas as 20 canções previamente selecionadas pelo júri, uma vibração inédita de aplausos e uma torcida fabulosamente organizada, com faixas cartazes, flores e gritos de incentivo aos seus favoritos. O entusiasmo era de fato contagiante e alguns dos concorrentes mereceram mesmo a consagração total dos espectadores, a exemplo do que se verificou com Geraldo Vandré e “Pra não dizer que eu não falei de flores”, a sua empolgante composição que levou a assistência, em uníssono, ao delírio e que obteve a segunda classificação na difícil prova.revista garôtas fic 1968

“Sabiá” pela dupla Cynara e Cybele, mereceu dos seus admiradores uma homenagem realmente poética durante a apresentação, 60 sabiás foram soltos em direção ao palco, esvoaçando sobre as cantoras e perdendo-se no recinto, sob a emoção dos presentes, que aplaudiam a novidade.

Agracedimento especial a Wagner Cavalcante Torres, por disponibilizar este material.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s